28.1.15

Um (titanossáurio) gigante e sem medo!


Já não é propriamente novidade, Dreadnoughtus schrani foi um dos titanosáurios descobertos ao largo do ano de 2014. Este estudo foi liderado por Kenneth J. Lacovara, no qual se sumaram mais 16 autores, e teve como objectivo a breve descrição num dos maiores saurópodes encontrados no Cretácico. Esta descoberta vem assim aumentar a diversidade (que já não é pequena) de saurópodes titanossáurios em território argentino.

Enquadramento filogenético de Dreadnoughtus schrani

Dreadnoughtus schrani surpreende em vários aspectos. Um dos pontos mais interessantes é o tamanho. As suas dimensões colossais voltam a acender um debate que está ainda por solucionar: "que factores paleobiológicos controlaram e permitiram a estes animais pretéritos atingir tão grandes dimensões, nunca antes alcançadas por outros animais terrestres?" Outra questão muito importante na qual poderá ajudar este espécimen diz respeito à compreensão da evolução deste grupo de dinossáurios saurópodes, os Titanossáurios? Uma coisa é certa, Dreadnoughtus promete-nos ajudar muito nesta última questão.

É sem dúvida uma excelente notícia a publicação deste exemplar. Habituados a espécimenes que vão do razoavelmente completo ao extremadamente fragmentário e improcessável, Dreadnoughtus vem quebrar esta cíclica monotonia nos titanossáurios argentinos. Não queremos com isto dizer, que na Argentina não existam titanossáurios como Deus (se existe claro) manda. Saltasaurus e Overosaurus são alguns dos exemplos de táxones realmente informativos.

Que acrescenta então este tão apetecível titanossáurio. Dreadnoughtus é um saurópode do Cretácico Superior que foi considerado pelos autores deste trabalho como uma forma mais primitiva dentro dos titanossáurios. Isto quer dizer, que esta forma deverá ter surgido de uma linhagem mais primitiva daquela que deu origem aos titanosáurios com armaduras dérmicas, pertencentes a um grupo pomposamente chamado Lithostrotia. Neste grupo de titanosáurios com armadura dérmica encontramos por exemplo os titanossáurios do Cretácico Superior encontrados na Península Ibérica, como Lirainosaurus ou os titanossáurios de Lo Hueco. Algumas das formas pertencentes a este grupo de titanossáurios mais primitivos alcançaram dimensões imensuráveis, como é o caso do tão conhecido ArgentinosaurusDreadnoughtus representa assim uma das evidências mais recentes da presença destes gigantes na fase mais terminal do Cretácico Superior Sul-americano. A sua descoberta aumenta assim a paleobiodiversidade deste grupo durante o Cretácico Superior da América do Sul.

Deixamos aqui um pequeno vídeo sobre esta nova espécie de titanossáurio:


 Para fazermos uma pequena alusão ao nome desta nova espécie, deixamos um tema de Gillian Welch e Willie Nelson, " I'm Not Afraid to Die".

 
-------
Referências: