15.10.14

Diplodocídeos do Jurássico Superior da Bacia Lusitânica no IV Congresso Jovens Investigadores em Geociências


No passado dia 12 de Outubro foi apresentado no IV Congresso Jovens Investigadores em Geociências uma nova comunicação sobre dinossáurios do Jurássico Superior da Bacia Lusitânica. Intitulada de “A preliminary evaluation of Diplodocidae record from the Upper Jurassic of Lusitanian Basin (W, Portugal)”, nesta comunicação apresenta-se uma análise preliminar do registo fóssil de saurópodes diplodocídeos da Bacia Lusitânica, assim como uma nova proposta filogenética para o registo conhecido (em particular para Dinheirosaurus) e para novas ocorrências em Valmitão (Lourinhã), Cambelas (Torres Vedras) e Praia Vermelha (Peniche). Este estudo foi conduzido pelos paleontólogos Pedro Mocho, Rafael Royo-Torres, Francisco Ortega, Elisabete Malafaia e Fernando Escaso. Este estudo resulta assim de uma colaboração entre instituições portuguesas e espanholas, como a Universidad Autónoma de Madrid, Sociedade de História Natural, Grupo de Biología Evolutiva UNED, FCPT-Dinópolis e o Centro de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Pedro Dantas (SHN) na excavação de Dinheirosaurus (Porto Dinheiro, Lourinhã)

Deixamos aqui o resumo em inglês e português: 

Abstract: The diplodocid record from the Upper Jurassic of the Lusitanian Basin is relatively scarce. This record includes Dinheirosaurus and some fragmentary remains, among which there has been proposed a second taxon. The study of three new specimens from Valmitão (Lourinhã), Cambelas (Torres Vedras) and Praia Vermelha (Peniche) and the redescription of Dinheirosaurus is providing new information about the diplodocids of the Lusitanian Basin. Preliminary phylogenetic analyses suggest that these new specimens and Dinheirosaurus are derived diplodocids closely related to Diplodocus and Barosaurus from the Morrison Formation.

Resumo: O registo fóssil de diplodocídeos proveniente do Jurássico Superior da Bacia Lusitânica é relativamente escasso. Este registo inclui Dinheirosaurus e outros exemplares mais fragmentários, dos quais se considera a existência de um segundo taxon. O estudo de três novas ocorrências em Valmitão (Lourinhã), Cambelas (Torres Vedras) e Praia Vermelha (Peniche) assim como a redescripção de Dinheirosaurus têm fornecido nova informação sobre os diplodocídeos da Bacia Lusitânica. Análises filogenéticas preliminares sugerem que estes três espécimenes e Dinheirosaurus correspondem a diplodocídeos derivados relacionados com Diplodocus e Barosaurus da Formação de Morrison.

-------
Referências: